segunda-feira, junho 22, 2009

Vilancete




Toda a Natureza louva
o único Deus Criador,
o nosso Pai Redentor.


Sol e Lua orientando,
frio e calor temperando,
fé e oração desfazendo
a nossa descrença em Vós
e ora não estamos sós.
Sois, enfim, do Orbe o Senhor,
o nosso Pai Redentor
.



Estrutura: Vilancete, em redondilha maior, segundo o esquema A B B c c d e e b b, com mote (ou moto) de três versos e glosa (ou volta) de uma copla; a glosa é formada de uma cabeça de estrofe, constituída por uma quadra e uma cauda de três versos.


(outro) Vilancete


Como pudestes mentir
a quem verdade falou?
Agora nem sei quem sou!


O pensamento voava
e sempre mui diligente
ia e vinha à minha mente,
tão ocupado ele andava
que o mal não adivinhava.
A dor quase me matou
e até duvido quem sou.

O coração bendizia
tamanha felicidade.
Se eu soubesse a verdade,
novo rumo lhe daria,
outra vida buscaria.
Agora tudo acabou
e ignoro mesmo onde estou.

É triste ser enganado,
de repente descobrir
que ela estava p’ra fugir.
É preciso ter cuidado
com juras do ente amado.
A mim juízo roubou
e p’ro hospital ora vou.



Estrutura: vilancete, em redondilha maior, constituído por mote e três voltas, no final das quais se repete o verso final do mote, mas com variante, mantendo, porém, o mesmo sentido, em todas as voltas; o esquema estrutural é o seguinte:A B B a b b a a c c .



Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)
Coimbra

Mona Lisa " Animada"

ShareThis