terça-feira, junho 29, 2010

Um olhar

Adoro jardins , quando arranjados. Adornam, dão espaço, liberdade e vida a qualquer localidade. Praticamente sem flores, este é lindo!
Apreciem como a simplicidade das plantas conjugada apenas com duas cores o tornam tão belo.

Fotos minhas (Rabat/Marrocos)

domingo, junho 27, 2010

Um olhar

O Douro, esperguiçando-se e embelezando as duas ribeiras (Porto e Gaia), numa tarde calma e solarenga, refugiando-se no mar.




Ribeira do Porto
Ribeira do Porto
Ribeira do Porto
Ribeira do Porto
Ribeira do Porto
Ribeira do Porto
Ribeira de Gaia
Ribeira de Gaia
Ribeira de Gaia

Fotos minhas

quarta-feira, junho 23, 2010

Excertos de livros que gostei



(…) Sou extremista em individualismo, em determinação, em teimosia e em solidão. Em egoísmo, em ambição, em amor-próprio. Desafio-me com facilidade para lutas cegas, exijo sempre metas distantes, invejo todo o saber, autorizo-me a qualquer tipo de iniciação. Tudo me urge.


(…)Se eu própria me bastasse, fugiria para sempre. Do teu corpo, das mãos quentes.


Mas sou frágil como um grão de neve. Derreto-me com leves sussurros e a ternura estonteia-me. Sofro de constante abstinência de amor."

 
Pedro Paixão in A Noiva Judia

sábado, junho 19, 2010

Li e gostei



“Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,


mas não me esqueço, de a que minha vida é a maior empresa do mundo.


E que posso evitar que ela vá a falência.


Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver


apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.


Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e


tornar-me um autor da própria história.


É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar


um oásis no recôndito da sua alma.


É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.


Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.


É saber falar de si mesmo.


É ter coragem para ouvir um 'não'.


É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.




Pedras no caminho?


Guardo todas, um dia vou construir um castelo...”



(autor desconhecido) ou (Fernando Pessoa)

Foto minha

quarta-feira, junho 16, 2010

segunda-feira, junho 14, 2010

Adivinhem quem faz hoje 2 anos!


Foto minha

Pausa


Durante uns dias andarei por aqui


Estarei ausente dos vossos "cantinhos", pois não levarei o pc.
Deixei o trabalho de casa feito e o blog continuará activo.


Até breve

domingo, junho 13, 2010

Fernando Pessoa nasceu a 13 de Junho de 1888




Para o relembrar selecionei algumas frases de que gosto.





“Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?”



Fernando Pessoa


“Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso."


Fernando Pessoa





“Não importa se a estação do ano muda...
Se o século vira, se o milénio é outro.
Se a idade aumenta...
Conserva a vontade de viver,
Não se chega a parte alguma sem ela."


Fernando Pessoa




quinta-feira, junho 10, 2010

Dia de Portugal com Agostinho Fardilha

Luís de Camões

(1524? - 1579/1580? )

Faleceu em 10 de Junho

Nasceu em Lisboa?, em Coimbra?...?


“ Camões, só por si, vale uma literatura inteira. Foi o melhor português da escola petrarquista. É a síntese do Renascimento em Portugal. É a mais alta expressão da poesia nacional.


É no soneto que o Poeta atinge a mais admirável e rara variedade rítmica”.


Homenageêmo-lo com este soneto:



À minha amada

Teu nome não o direi a ninguém.
Podem querer manchar-te com lasciva
intenção. Tua beleza deriva
da Beleza que somente Deus tem.



Desde a infância este amor se mantém.
Esse teu mover de olhos me cativa;
o cabelo dourado mais aviva
as rosas da face e o sorrir também.



Nunca soubeste deste puro amor,
fogo suave que meu ser abrasa.
Agora só desejo a ventura,



para enganar esta encoberta dor,
de ver-Vos, Amor, pois isso atrasa
a ida fatal para a sepultura.




e a Cantiga que se segue




mote:


Helena, vai devagar,
que te podes magoar,
estorcegando os pezinhos,
oh! meu Deus, tão perfeitinhos.


É Maio e a verde planura
é um dom da Natureza.
Lena ergue-se com destreza;
cabelos d’oiro e a doçura
dos seus verdes e lindos olhinhos,
num rosto belo e rosado,
formam um corpo bem talhado;
e que talhes perfeitinhos!


A blusa de várias cores,
com um pequeno decote;
linda saia e um saiote;
chapéu de palha com flores
e nas orelhas uns brinquinhos.
Abre ao rebanho o redil:
que alegria infantil!
Tudo corre, e os seus pezinhos?


A pastora ao colo leva
cabrinha há pouco nascida.
Há disputa na corrida
p’ra chegar à tenra erva.
O rebanho vai pastar.
Ela, num regato perto,
dá banho à cria, decerto
cuidando não magoar.


Se alguma cabra ou bode,
s’alguma ovelha ou carneiro
se afasta do seu parceiro,
Helena logo lhe acode.
O dia está a findar.
A “família” vai dormir;
ela e o rebanho a balir
regressam, mas devagar.


Agostinho Alves Fardilha (O meu pai)
Coimbra

terça-feira, junho 08, 2010

Recordando...


O Verão espreita!
Anseio por ele!


Estava longe de a encontrar( bóia/câmara de ar) e?!...Uau!!!


Que saudades dos banhos de mar em Luanda e Novo Redondo. Em Luanda encavalitadas na bóia, em dias de maré baixa, levadas pela corrente, íamos até à ilha do Sol.
Em Novo Redondo  a aventura era maior: bem agarradas à bóia, puxadas por um amigo, galgávamos as ondas em dias de calema.

Fotos:internet

Mona Lisa " Animada"

ShareThis