domingo, fevereiro 25, 2018

quinta-feira, fevereiro 22, 2018

Um olhar


"Minha aldeia é todo o mundo.

Todo o mundo me pertence.

Aqui me encontro e confundo

com gente de todo o mundo

que a todo o mundo pertence."



António Gedeão




segunda-feira, fevereiro 19, 2018

sexta-feira, fevereiro 16, 2018

Pelos caminhos de Portugal...


A Boca do Inferno localiza-se na costa oeste da cidade de Cascais.
O nome "Boca do Inferno" atribuído a este local deve-se à analogia morfológica e ao tremendo e assustador impacto das vagas que aí se fazem sentir.









terça-feira, fevereiro 13, 2018

sábado, fevereiro 10, 2018

Um olhar


 Candeeiros de Lisboa, altos e majestosos, compondo a paisagem citadina com a sua rara beleza!










quarta-feira, fevereiro 07, 2018

Um olhar



Conhecida por:
 Granjas
 Hortências
 Novelos (Madeira)
 mas o seu nome de baptismo é:
 HIDRANGEA.

domingo, fevereiro 04, 2018

Um olhar




A vida é um incêndio: nela
dançamos, salamandras mágicas
Que importa restarem cinzas
se a chama foi bela e alta?
Em meio aos toros que desabam,
cantemos a canção das chamas!

Cantemos a canção da vida,
na própria luz consumida...

Mário Quintana


quinta-feira, fevereiro 01, 2018

Li e gostei



A poesia não está só nos versos, por vezes ela está no coração e é tamanha, a ponto de não caber nas palavras.
Jorge Amado

quinta-feira, janeiro 25, 2018

Um olhar




Ó tempo volta para trás
Dá-me tudo o que eu perdi
Tem pena e dá-me a vida
A vida que eu já vivi
Ó tempo volta p'ra trás
Mata as minhas esperanças vâs
Vê que até o próprio sol
Volta todas as manhãs.

António Mourão

sexta-feira, janeiro 19, 2018

Um olhar



Apontamentos, em azulejo, do quotidiano da antiga vila piscatória, Quarteira.






terça-feira, janeiro 16, 2018

Um olhar




Você não pode impedir as mudanças, assim como não pode impedir o pôr do sol

Star Wars





sábado, janeiro 13, 2018

quarta-feira, janeiro 10, 2018

Blog em ritmo lento

Por motivo de doença, pouco tenho comentado. Mal me sinta com forças, voltarei.

Os posts vão saindo , pois estão agendados.

Espero a vossa compreensão.

Beijinhos.

Um olhar


CORETOS PORTUGUESES (coreto de Vila Viçosa)

 Os Coretos são palanques ou palcos cobertos, localizados nos jardins e praças, destinados a espectáculos musicais e realizados por coros de igreja e por bandas ou orquestras de música, locais. Os primeiros terão surgido em Inglaterra, em meados do Século XVIII e em Portugal nos finais do mesmo Século, tendo-se espalhado por quase todo o mundo. Hoje, infelizmente muitos estão abandonados, alguns já foram recuperados e constituem o "ex-libris" de certas localidades.







quinta-feira, janeiro 04, 2018

Um olhar




Seja sempre forte, não como as ondas que tudo destroem, mas sim como as rochas que tudo suportam.

ShareThis