quarta-feira, junho 24, 2009

Continuam os Santos Populares…Chegou o S.João!



Uma das tradições do S. João do Porto é a construção de cascatas sanjoaninas.

Segundo o Historiador Hélder Pacheco, as primeiras cascatas no Porto aparecem no século XIX.

Acredita-se que tenham origem nos presépios, que surgiram em Portugal nos finais do século XVIII”. “Antigamente”, explica o historiador, “pegava-se num presépio, substituía-se a sagrada família e os reis magos pelos santos populares e tínhamos uma cascata”.

A figura central da cascata é S. João Baptista e o elemento mais visível, a água.

O Porto em si é uma cascata!

Hélder Pacheco (historiador)



Deixo aqui algumas quadras a S. João


Eu sou a fonte vadia
Dum S. João vagabundo
Que mata a sede à folia
Da maior noite do mundo

Meu balão não é d'espanto!
Não tem vinda, só tem ida,
Leva risos, leva pranto…
Tudo faz parte da vida.

Com tua mão presa à minha
Fui à fonte e não bebi,
estranha sede que tinha
Era só sede de ti!

Ninguém conhece ninguém.
Rusgas, ervas, festas a rodos.
Quando a madrugada vem
Já todos conhecem todos!

Tirou na roda a chinela
P'ra bailar de pé no chão,
Que o fogo que ardia nela
Já lhe queimava o tacão!

Não mandes beijos, amor,
Beijar é face com face.
A água tem mais sabor
Junto da fonte onde nasce.

Por eu ser pobre e tu rico,
Não julgues que o mundo é teu:
Se tu tens o manjerico,
Quem tem o vaso sou eu.

Ninguém se sente sozinho
Na noite de S. João:
O de mais longe é vizinho,
O de mais perto é irmão.

Eu saltei sempre a fogueira
Sem temer ficar queimada
Que a vida passa ligeira
E sem chama é mal passada

És uma fonte de vida
Onde eu sempre quis beber;
Andava a água perdida
E eu de sede a morrer

Deixaste-me só na rua,
Hoje amor, por brincadeira,
E lenha que não foi tua,
Fez-me arder a noite inteira.

As cascatas que fizemos
Em cada nesga de rua
Vão do chão onde vivemos
Até ao balão da Lua.

Fonte : JN

Imagem:internet

Mona Lisa " Animada"

ShareThis