terça-feira, março 29, 2016

Pelos caminhos de Portugal...



Inaugurado em 1884, o Jardim Zoológico de Lisboa foi o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica. Foram vários os seus fundadores - Dr. Pedro Van Der Laan, José Thomaz Sousa Martins e o Barão de Kessler - que contaram com o apoio de várias personalidades, o Rei D. Fernando II e o zoólogo José Vicente Barboza do Bocage.

As primeiras instalações situaram-se no Parque de São Sebastião da Pedreira, que foi cedido gratuitamente pelos seus proprietários.
Mais tarde, o parque mudou-se para a Palhavã e a 28 de maio de 1905, foram inauguradas as novas e definitivas instalações na Quinta das Laranjeiras. No dia 12 de março de 1913, o Jardim Zoológico foi declarado Instituição de Utilidade Pública.

As inúmeras remessas de animais vindos de África e do Brasil contribuíram para que, ao longo dos anos, o Jardim Zoológico tivesse uma das colecções de animais mais vastas e diversificadas do mundo.

Destacaram-se, na realidade, alguns governadores das ex-províncias ultramarinas no contributo para o enriquecimento da colecção zoológica com exemplares de espécies exóticas, pouco conhecidas e muito atractivas.

 Em 1952, a Câmara Municipal de Lisboa galardoou o Jardim Zoológico com a Medalha de Ouro da Cidade.

A queda do Estado Novo em 1974 e a consequente independência das antigas colónias em África, significou a quebra do forte apoio prestado ao Jardim Zoológico pelas autoridades na diversificação e renovação da colecção animal.


Em 1990, a nova política de gestão adoptada por Félix Naharro Pires, que entretanto tomou posse como Presidente do Jardim Zoológico, teve por objetivos a modernização das instalações existentes, assim como dos serviços.
Em paralelo, foram criados os serviços comerciais, marketing, relações públicas e imprensa, de modo a dinamizar o Parque como parceiro privilegiado das empresas.

Promover a educação para a conservação junto do público visitante foi, também, uma das principais preocupações, que rapidamente mereceu a criação de um serviço próprio, o Centro Pedagógico.

Atualmente o Jardim Zoológico representa o papel de educador, com a vantagem de possuir uma das melhores salas de aula do país, cuja coleção animal, espaço e atividades proporcionam uma aprendizagem atraente e eficaz.
O Jardim Zoológico deixou de ser uma montra de animais para assumir um papel ativo na proteção e conservação da Natureza. A melhoria das instalações para os animais permitiram o aumento da taxa de natalidade. 

Hoje em dia, o Jardim Zoológico está diferente, tem uma nova missão e uma nova mensagem. Apresenta novas atrações e instalações. O Jardim é um espaço onde aliada à conservação e à educação está uma forte componente de entretenimento e diversão.

Neste novo Zoo habitam cerca de 2000 animais num conjunto de aproximadamente 300 espécies, entre mamíferosavesrépteis anfíbios.







Algumas dessas espécies




















sexta-feira, março 25, 2016

Um olhar



Passando por uma rua sinalizada com sentido proibido, reflecti.
Na "estrada da vida" deparamo-nos, por vezes, com "etapas" rotuladas "sentido proíbido", sendo muitas vezes tentados a transgredi-las, pois já diz o ditado: "O fruto proíbido é o mais apetecido".
Será que erramos seguindo o nosso instinto, a nossa curiosidade ou mesmo o desejo de encontrar algo que nos completa?!


quarta-feira, março 23, 2016

Recordando...



Do Adriático, Dubrovnik à vista


Dubrovnik (em italiano: Ragusa) é uma cidade costeira da Croácia localizada no extremo sul da Dalmácia, na ponta do istmo do mesmo nome. É um dos destinos turísticos mais concorridos do Mar Adriático, um porto marítimo e a cidade mais importante do condado de Dubrovnik-Neretva.

Pela sua beleza natural e urbanística, e pelo que representa para a história, Dubrovnik é conhecida como "a pérola do Adriático" e"Atenas eslava", devido aos seus antigos habitantes a distinguirem como única numa região onde imperava a barbárie e por nela terem proliferado grandes figuras das humanidades e das artes. Capital do condado de Dubrovnik-Neretva, Dubrovnik é uma cidade rodeada de muralhas e fortificações, no sopé do monte de São Sérgio, que cai a pique sobre as águas do Mediterrâneo. Desde 1979 que o recinto muralhado está classificado como Património Mundial pela UNESCO.












sexta-feira, março 18, 2016

Pelos caminhos de Portugal...



Coreto e fonte luminosa, nos Jardins dos Paços do Concelho,  em Oleiros (Castelo Branco)




quarta-feira, março 16, 2016

Um olhar



A vida, qual calçada,  é cheia de ondulações. Um sobe e desce constante de certezas e desilusões.



domingo, março 13, 2016

Pelos caminhos de Portugal...


Elvas é uma cidade raiana portuguesa situada no Distrito de Portalegre, É famosa pelas suas fortificações, classificadas recentemente Património da Humanidade pela UNESCO.




Aqueduto da Amoreira


Aqueduto da Amoreira


Capela de Nossa Senhora da Nazaré


Capela de Nossa senhora da Nazaré


Igreja de Nossa Senhora da Assunção (antiga Sé de Elvas)


pormenor da torre sineira


calçada


Arco do Dr. Santa Clara ou Arco de Tempre   situados junto à porta da antiga muralha Árabe.


Pelourinho do séc.XVI





ruela


Castelo de Elvas


Castelo de Elvas


interior do castelo


interior do castelo


exterior do castelo


Vista do castelo


Forte de <Nossa Senhora da Graça ,visto do castelo


Forte de santa Luzia , visto do castelo




Forte de Santa Luzia


Mona Lisa " Animada"

ShareThis