quinta-feira, janeiro 01, 2009

Saudades da consoada do" Ano Novo"



Na minha infância a consoada tinha
Lugar, por tradição, no dia um.
Alegria e ruído, em mais nenhum,
Toda a casa enchiam, mesmo a cozinha.

Manhã cedo havia Missa e Sermão.
O jantar era sempre melhorado,
Mas a ceia… meu Deus! Tudo contado,
Põe-nos, mãos erguidas, em oração.

Que saudades do vinho e canela,
Da tenra hortaliça e do bacalhau!
Que cheirinho saía da panela!

Ao deitar-me, imaginava um sarau
E de nariz colado na janela
Pedia a Deus que ninguém fosse mau.




Coimbra, 1 de Janeiro de 2009
Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)
(nascido em Cortegaça, em Maio de 1926)

Mona Lisa " Animada"

ShareThis