segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Momento de Poesia com Agostinho Fardilha


Sextina

Saudade, Esperança, Cuidado, Mudança e Tempo

(Em homenagem a Bernardim Ribeiro, poeta do Renascimento, célebre pela sua obra-prima “Menina e Moça”. Viveu entre os séculos XV e XVI (talvez 1482/1552)


I

Ferido p’la saudade,

pensei do mundo fugir,

escondendo-me de tudo

e de ti não me lembrar.

Estulto-disse p´ra mim:

onde há vida, há esperança.

II

O amor é de vida esp’rança,

nele mora a saudade.

Estulto é, para mim,

quem do mundo quer fugir;

e melhor será lembrar

que haverá cuidado em tudo.

III

No meu coração és tudo:

Seres minha há esperança;

E quero sempre lembrar

teu sorriso, com saudade,

que de ti irá fugir

p´ra só habitar em mim.

IV

Fizeste mudança em mim:

farei de pastor em tudo

e das letras quis fugir,

pois te servir tinha esp’rança.

No meu ser há saudade

e cuidado em te lembrar.

V

Certo dia-vou lembrar-

os olhos puseste em mim.

Corei, mas a saudade,

que não pode esconder tudo,

o tempo encheu de esperança,

que ora teima em não fugir.

VI

De ti não quero fugir.

O tempo faz-me lembrar

que eu não perca a esperança,

pois só o estulto, p´ra mim,

abandona ou esconde tudo:

desde o amor à saudade.


Nota: sextina é uma forma poética fixa: seis estrofes de seis versos cada uma e uma finda de três versos (nesta, são os três primeiros versos da 6-ª estância). Este género de composição não é rimado, mas as palavras finais dos versos da 2-ª à 6-ª estâncias repetem as da primeira, segundo a estrutura, que se segue ( a estrutura- comum naquela época- parece complicada, mas o seu enlaçamento é de uma beleza ímpar):



Estrofe 1- ABCDEF

Estrofe 2 – FAEBDC

Estrofe 3 – CFDABE

Estrofe 4 – ECBFAD

Estrofe 5 – DEACFB

Estrofe 6 – BDFECA

Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)

Coimbra


Foto: departamentomissionário.files.wordpress

16 comentários:

Milai disse...

O prometido, foi cumprido!
E o seu Pai está de novo de parabéns
pois a poesia mora no coração dele.
Beijinhos

Just Me...S disse...

O teu pai já editou algum livro???? Se ainda não o fez...devia!!!!

Beijoca doce

A Magia da Noite disse...

uma forma de combinar rimas com sentidos é isso que é poético e gera em nós imenso ritmo.

Zé Al disse...

Olá Lisa
Cá estou novamente a ver os vossos blogs,e não poderia ser amis agradável do que uma maravilhosa poesia desse grande poeta que é Agostinho Alves Fardilha.
Tenho o maior orgulho que um dos apelidos seja igual ao meu "Alves".
Quando um livro?
Mitos beijos e um grande abraço para o pai de Zé Al(ves)

Mal-Me-Quer Bem-Me-Quer disse...

Olá Elisa
Amiga concordo com os comentários já escritos, o teu pai devia de editar um livro, pois ele é Fabuloso.
Parabéns Minha Amiga
Beijocas
Ana

O Báu da Mimi disse...

Lindo :)

Beijinhos e boa semana*

Savi disse...

Olá Elisa
Começo por constatar que é uma filha super orgulhosa do pai que tem,e também não é para menos,dou-lhe os meus muito sinceros parabéns e peço, (se não considerar ousadia da minha parte) que lhe dê um grande beijinho a esse grande poeta que tem junto a si.
Beijinhos e uma óptima semana.
Savi

Nilson Barcelli disse...

Mais um magnífico poema do teu pai.
Admiro a sua precisão linguística, muito bem elaborada, de resto.
Querida amiga, boa semana.
Um beijo.

artes_romao disse...

boa tarde,td bem?
grande senhor...
gostei imenso de ler este poema...parabéns.
fica bem,jinhos***

mfc disse...

Uma écloga perfeita.
Um rigor métrico e semântico notáveis.
Parabéns sinceros ao teu pai.

Anónimo disse...

Os conselhos só devem ser dados, quando nos pedem,mas eu vou "dar uns conselhozinhos" ao poeta Agostinho Fardilha( apresentando as minhas sinceras desculpas)!!!

Ei-lo:

«Aproveite ao máximo cada instante de sua vida, pois ela é única.»
«Pense seriamente em editar um livro.»
«Continue a escrever e a publicar.»

Permita-me" avisá-lo" que lhe serão pedidas contas se não o fizer..., pois os talentos deverão ser postos em prática!!!

O seu poema é um retrato de beleza.

Inicia-o de uma forma natural e
simples( por isso é belo) e consegue transmitir a toda a criatura que:
«onde há vida, há esperança.»

Vai tomando consciência mais perfeita da vida :( 2ªestrofe)
«O amor é de vida esp'rança,»

E duma forma subjectiva avisa-nos de que somos " ESTULTOS" quando
queremos fugir do mundo e aconselha-nos a ter « cuidado em tudo»

Estas 2 estrofes são duma transparência da realidade , encantadora.

Sente-se , respira-se, comunga-se , das ideias do poeta. Chamo a isto comunhão de ideias.

E assim galopando!!! com muita cadência e consciência apresenta-nos
os seus sentimentos em relação à amada, que são sempre muito delicados:
«Fizeste mudança em mim...
no meu ser há saudade...»

E assim vai reconhecendo que o amor é forte e que é impossível fugir a ele:
«abandona ou esconde tudo:
desde o amor à saudade»

Gosto imenso de poemas. Mas há poemas e poemas.
A arte de qualquer artista está em fazer de nós não espectadores ou leitores passivos, mas sim fazer com que nos sintamos como próprios autores do poema.

Mais uma vez está de Parabéns!
Mais uma vez a filha estará com muito orgulho e feliz pelo seu pai que tem mesmo Grande Veia Poética.

Muito obrigada pela sua partilha.
Cada momento é único. Vivi-o com alegria.

Beijinhos.

lis disse...

Que lindo Elisa
"abandona ou esconde tudo:
desde o amor à saudade."
Me encantei com seu pai, abrace-o por mim e parabenize-o pela lindeza.
deixo os abraços

Mena disse...

Olá!
Lindo! Parabéns ao pai!
Bj
Mena

Lilá(s) disse...

Por aqui há poeta! parabéns ao pai.
Bjs

Paula Raposo disse...

Que maravilha de lição!! Adorei.
Beijos.

Maria Cusca disse...

Lindo!
Aliás como todos os que tens publicado.
De facto tens que estar orgulhosa.
Parabéns mais uma vez ao teu pai.
Obrigada pela partilha.
Continua a partilhar amiga, porque essas belezas, não são para estar escondidas.
Jinhos grandes

Mona Lisa " Animada"

ShareThis