segunda-feira, outubro 25, 2010

Momento de Poesia com Agostinho Fardilha

Poesia do Século XVII

A Poesia Lírica Cultista e Conceptista

O cancioneiro barroco: A “Fénix Renascida” e o “Postilhão de Apolo”





Prosseguimos a “viagem” com o poeta

D. Tomás de Noronha





A uma beata arrebitada


Endechas


Por que foste à Igreja,
“setentona” esguia?
P’ra que alguém te veja
e diga qu’és pia?


Queres devorar
algum mocetão?
P’ra ti a olhar
está um barão.


É velho qual tu:
procura um amparo.
Não é um gurú,
mas um bife caro.


Olhas com desprezo
e no teu pescoço,
que o pões bem teso,
eis grande caroço.


Olhou e fugiu,
temendo saísse.
O rosto encobriu,
t’arrenego, disse.


Não és peixe fresco
como o apregoas.
Nem és um refresco
p’ra goelas boas.


Bem vestida andas:
saia de veludo,
casaco de bandas,
sapato bicudo.


A cara com rugas
é grande tormento.
Mas, se as enxugas,
usa bom cimento.


Queres um conselho?
Mete no toutiço
que é melhor ser velho
do que ser derriço.



Vocabulário
caro = desejado
derriço = chacota
gurú = espécie de peixe


Foto : internet

Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)
Coimbra

14 comentários:

António Faria disse...

Soberbo poema( bem ao jeito do poeta) para homenagear D.Tomás de Noronha, poeta satírico português do período barroco.

Abraço.

lis disse...

kkkk
que bom conhecer a Poesia desse século.
bem humorada, faceira meio irônica.
será ciumes ? rsrs
abraço ao seu pai.
Gostei muito das quadrinhas , nao sei se é esse o nome que se dava aos versos.
boa semana
beijinhos

José María Souza Costa disse...

eu adoro poesia Muito bom o seu blog Vim lhe convidar a visitar o meu e se possivel seguirmos juntos por eles Estarei grato lhe esperando lá
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Nilson Barcelli disse...

Mais uma belíssima pérola poética.
Excelente, querida amiga.
Boa semana.
Beijos.

Savi disse...

Olá Elisa
Ai amiga este poema faz-me lembrar a imagem de algumas mulheres que não tem espelhos em casa,nem idade para certas modas.
Beijinhos uma excelente semana.
Savi

mfc disse...

Gostei muito desta faceta marota, que mesmo assim não descura por um momento o formalismo a que sempre aqui se mostrou apegado.

artes_romao disse...

boa noite,td bem?
mas que belo momento de poesia...parabéns ao papá.
fica bem,jinhos***

Graça Pereira disse...

Olá Elisa
Porque será que as pessoas têm dificuldade em viver o seu tempo?
Há flores em todas as estações...
Quadras jocosas e pertinentes. Parabens ao teu Pai.
Beijo para ti.
Graça

Daniela Tavares disse...

Olá Elisa!

A poesia é sem dúvida sempre fascinante. E no teu cantinho, nunca faltam palavras bonitas.

Beijinho,
Daniela Tavares. (:

Pérola disse...

Oi minha amada.
Adoro a sua visita.
Vc me perdoe se ñ estou vindo com mais frequencia, o tempo está curtinho mas eu venho tá.
Amei a sua postagem,palavras tão absolutas e singelas. Gosto disso.
Parabéns.
Beijokas minha linda!!!

Carla Diacov disse...

Adorei aqui!
Tudo...
E também adoraria ver tua honrada visita pelas minhas chafurdadas coisas;
carladiacov.blogspot.com
larcavodica.blogspot.com
odesimundasdoneochiqueiro.blogspot.com
carlacarlacarlac.multiply.com

JPD disse...

Uma delícia.
Divertidíssimo!
Bjs

Lilá(s) disse...

perdi o meu pai com 17 anos, ficou sempre um vazio enorme, talvez por isso fico sempre emocionada quando aqui venho e leio algum do seu.~
Que maravilha de pai!
Beijinhos aos dois

Mena disse...

Olá!
Liiiiiiiiiinnnnnnnnnnnnnnddoooo!
Bj
Mena

Mona Lisa " Animada"

ShareThis