quarta-feira, dezembro 01, 2010

Momento de Poesia com Agostinho Fardilha



Décimo mês dos tempos idos
e, actualmente, o décimo segundo;
zangam-se as gentes peninsulares a fundo
e Portugal foge aos bandidos;
mas olhemos para a agricultura:
bonitas árvores se vão plantar,
rasga-se a terra com brandura
onde haverá flores de bom cheirar.


Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)
Coimbra

11 comentários:

Carla disse...

Que belo !

bjs

Anónimo disse...

Mais um belo acróstico focando o essencial do mês.

Abraço.

Maria Luisa Adães disse...

Belo o que nos conta seu pai e o que tem a amabilidade de mostrar, através de fotografia.

Adorei encontrá-la e em especial me despeço de si e de todos quantos
têm a gentileza de me acompanhar.

O meu Livro "A Maré e a Bruma"
só vai ser lançado em Fevereiro ou
Março, depois do meu regresso.
Vou para o Brasil e não levo pc.

Se encontrar e tiver possibilidades
escrevo para o google antes do
Natal.
Agradeço do coração sua amizade.

Lhe escrevi, por amizade e também,
porque me perguntou quando do saír
do livro, pois o queria comprar...

Bom natal
Bom Ano
Muita saúde,

Maria luísa Adães

mfc disse...

Um acróstico misto de História e de Borda D'Água... mantendo o formalismo irrepreensível, que já é apanágio do Autor.

rosa-branca disse...

Belo como sempre querida amiga. Beijos com carinho

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Tenho aprendido muito com estes acrósticos do teu Pai. Por exemplo não sabia que antigamente Dezembro era o 10º mes. Obrigada pela partilha de tão belos trabalhos. Um beijinho e ..Fica bem!
Emília

Lis disse...

Oi Mlisa
Já cheguei lembrando que hoje era dia de acróstico do seu pai.
Lindo,mas quem está fugindo de bandidos é o Brasil ! rs
Há por todo canto nao é?
Que haja "flores de bom cheirar"
Adorei Agostinho.Parabéns.
deixo abraços

Anónimo disse...

Esperava com ansiedade muito positiva, o final do mês para "recriar-me" , com a partilha do poeta Agostinho Fardilha.
Sabia que teríamos o Acróstico de Dezembro.
Conseguiu " criar-nos" o mensal e bom hábito de leitura.
Fiz a leitura do acróstico no dia esperado,( dia um ) mas não pude comentá-lo.
Estou, hoje, com todo o gosto a fazê-lo.
O tempo passa e com ele se "arrasta" o
pensamento.
As ideias mudam ou permanecem.
Diz-nos o poeta que o mês de Dezembro
foi

«Décimo mês dos tempos idos
e, actualmente, o décimo segundo»

As pessoas revelam as suas tendências.
E estas se sobrepõem, muitas das vezes, acima do desejado!

«zangam-se as gentes...»

Lutar pelas causas sociais, defender os oprimidos,seria o lema desejado em todo o homem.
Mas não é isto que acontece, infelizmente.
A "vítima" tem de defender-se!!!

««e Portugal foge aos bandidos;»

Este poeta, como bom escritor, deve transmitir sempre a Esperança.Dá um "saltinho no tema" e convida-nos a OLHAR para a natureza, (beleza que ninguém nos pode tirar!)duma forma muito natural

«mas olhemos para a agricultura:»

Portugal deve precaver-se.
Portugal tem de aumentar a sua produtividade.
Portugal tem de aumentar a sua Economia.
Investir na Agricultura, é um dos caminhos.
Agostinho Fardilha "aconselha" duma forma poética sobre o principal e o belo.

«bonitas árvores se vão plantar,
rasga-se a terra com brandura»

Como este acróstico se encaixa na actualidade!Está apontado um dos caminhos a seguir:trabalhar a terra.
O tal convite de olhar, que mais não é que uma chamada de atenção.
Quem te avisa teu amigo é.

Cruzar os braços, nada adianta.
Lamentar de nada serve.
Olhar para trás nada nos traz.
Arregaçar as mangas e AO TRABALHO!
O resultado será sempre positivo.

«onde haverá flores de bom cheirar.»

Este último verso é uma grande mensagem de Esperança.
Que forma tão bonita de terminar um poema!

Dr. Agostinho Fardilha,parabéns pela mensagem.
Os portugueses bem precisam de um bom estandarte.
Foi um gosto ser visitado por si.
Foi poeticamente um bom companheiro, um bom amigo durante estes doze meses.

Elisa, para ti um grande abraço de amizade e mais uma vez parabéns.

JPD disse...

Belo exercício.
Bjs

artes_romao disse...

boa noite, td bem?
mais um belíssimo momento o Senhor Fardilha.
gostei!!!
fica bem,jinhos***

Pérola disse...

O teu paizinho é um talento único.
Que bela junção no mês de dezembro.
Um belíssimo poema.
Parabéns e um beijinho.

Mona Lisa " Animada"

ShareThis