terça-feira, maio 20, 2014

Um olhar



Onde está agora o amigo engraxador?
Nas aldeias, aos domingos, brilhava o calçado.
Rodeavam-no os homens na murmuração:
uns piropos às moças que no seu rubor
achavam graça e ouviam com agrado
se eram proferidos sem mal intenção.
Oh! mas fazem bem estas lembranças,
sinal que já não somos crianças.



Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)
Coimbra

23 comentários:

✿ chica disse...

Maravilha de poema do teu pai! E já faz tempo que quase não mais os vemos por aqui também!! Que linda foto conseguiste captar! ADOREI! Linda semana, bem legal! beijos,chica

Teresinha disse...

Lindo o poema do teu pai.
A fotografia... muito bem captada!
Bjs

mmm´s disse...

Traços da cultura de um povo, que marcam uma identidade cada vez mais comprometida.

Nelma Ladeira disse...

Lindo poema do seu pai.
É uma boa lembrança.
Adorei Mona Lisa.
Beijinhos.

Cidália Ferreira disse...

Bom dia, gostei de ver
já existem poucos.

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Bella disse...

ainda existem em terras reconditas... um especie em vias de extinçao... graças ao "progresso" :( bjs

Manu disse...

Uma imagem que faz recordar outros tempos, uma profissão praticamente em extinção, em Lisboa ainda se vê um ou outro, mas já não tem a conotação dada pelo lindo poema do seu pai.
Um olhar bem registado.

Beijos Elisa

aluap disse...

Na cidade onde moro os engraxadores ainda existem, mas nas aldeias portuguesas é já uma profissão extinta ou em vias de extinção.
Gostei imenso do poema de seu pai. Recordar é Viver.
Um abraço,Paula.

Alex disse...

Como sempre, uma grande sintonia entre uma bela foto e um belo poema! Beijinhos

Ana Freire disse...

Uma magnifica combinação entre imagens e palavras, que nos remete para outros tempos, em que a vida decorria à velocidade em que permitia ser vivida, ao contrário dos tempos actuais, em que permanentemente se corre... ficando a vida esquecida.
Parabéns a ambos, por este registo tão gostoso, de um regresso a um passado, a que sabe sempre bem voltar e recordar.
Beijinhos
Ana

Remus disse...

Uma actividade cada vez mais em desuso, até porque a maioria do calçado que agora se vê à venda e que as pessoas compram, já não precisam/podem ser engraxados.
Eu por mim falo, do calçado que possuo, só um par é que pode ser engraxado. Os restantes não podem.

O meu pensamento viaja disse...

Maravilha de poema e uma imagem quase inédita.
Beijinhos

Carpe diem to me disse...

Belíssimo poema a acompanhar uma imagem que não desapareceu dos nossos dias!
Beijinhos

Minha vida de campo disse...

Olá,
Seu Agostinho nos brindando com mais uma bela obra. Realmente antigas profissões estão se acabando, uma pena, mas ficam na lembrança. Venha nos visitar e relembre doces momentos vividos na casa de suas avós. Adoraríamos recebe-los. A sopa estará quentinha vós esperando.
Bjos tenham uma iluminada semana.

Graça Pereira disse...

O poema é lindo e a foto...é quase histórica... Ainda há engraxadores??
Beijo
Graça

Pérola disse...

Em perfeita sintonia a fotografia e o poema.

Uma profissão ainda existente a relembrar-nos outros tempos.

Beijinhos

Néia disse...

Bom dia amiga...Às vezes tenho um medo tão grande deste dito "progresso" que gera modernismos tornando as pessoas cada vez mais distantes. no Brasil onde moro e na minha cidade ainda é possível vê-los reunidos em uma praça central e esperando os clientes, que são muito mais amigos de prosa. Adorei O POEMA E COMO SEMPRE AS IMAGENS SÃO CAPTADAS COM OS OSLHOS DA ALMA. BEIJOS E TENHA UMA ÓTIMA QUARTA-FEIRA

São disse...

O interessante poema de teu pai tem razão: onde estão os engraxadores (de sapatos, esclareça-se)?

Boa foto de uma memória que, sim, é bom recordar

Abraços para ti e teu pai

Liliane de Paula disse...

Sempre quis sentar numa cadeira dessa para olhar o "mundo"passar.

Crocheteando...momentos! disse...

O engraxador é uma figura do nosso passado que nostalgicamente vamos recordando!
Belo instante! Bj

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Elisa!
Uma profissão em vias de desaparecer de todo... Achei engraçada a foto. Parabéns ao Sr . Agostinho pelo poema tãobem encadesado!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

No Saldanha ainda existe um engraxador a cujos serviços recorro algumas vezes...
Beijinhos

Tons Neutros disse...

Uma das coisas que reparei quando cheguei à Colômbia é que aqui ainda existem imensos engraxadores.

Mona Lisa " Animada"

ShareThis