domingo, outubro 25, 2015

O Valioso Tempo Dos Maduros




Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.

Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.

As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.

Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

As pessoas não debatem conteúdos, apenas rótulos.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade…

Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

O essencial faz a vida valer a pena.

E para mim, basta o essencial.


(Mário de Andrade)

33 comentários:

marina maia disse...

Lindo minha amiga!!!!
É mesmo verdade, com a idade vamos perdendo paciência para "tolices"!!!
Beijinho e bom fim de semana!

Catarina disse...

É deprimente pensar-se que se tem muito mais passado do que futuro mesmo que tivesse sido um passado cheio de boas e algumas más experiências. Foi este pensamento com que fiquei depois de ler o texto. Terei que lê-lo de novo, mais tarde, para tirar o pensamento positivo que quer transmitir.
: )

redonda disse...

Conseguir ser capaz de viver assim, parece-me uma boa ideia.
um bom Domingo e um beijinho
Gábi

Maria disse...

Magnífico texto com que me identifico inteiramente...mais ainda quando como agora cada dia conta especialmente na incerteza absoluta do porvir!
Beijinhos minha amiga!
Maria

✿ chica disse...

Elisa, esse texto fal tudo! è lindo mesmo! Adoro! E tua foto, simplesmente maravilhosa:banco, folhas de outono..Adorei! bjs, chica

Teresinha disse...

Querida amiga,
que bela escolha. Encaixo a minha pessoa nestas palavras profundas deste génio brasileiro. Penso muito nisto... e vivo ainda com mais intensidade cada minuto da minha vida.
Um grande abraço por teres trazido este texto que, realmente, só pode ser sentido por pessoas maduras, como nós... sem tendência para depressões!!!
E a fotografia? Linda e bem escolhida!
Beijinho

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Completamente de acordo com o seu texto e já somos dois.
Um abraço e bom Domingo.

Crocheteando...momentos! disse...

E vão duas amiga...tal como tu...meu tempo encurtou e apenas o essencial me faz feliz! Bj amigo

Crocheteando...momentos! disse...

PARABÉNS PELO OLHAR OUTONAL!!!

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde

Adorei o texto.
Já a foto faz-nos vaguear pelas recordações!

Passo para desejar um bom Domingo
Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Manu disse...

Tal como tu, também já não me perco com futilidades e cada vez dou mais valor à vida e ao que me rodeia, por exemplo passear por cima destas folhas secas e ouvi-las ranger debaixo dos pés é um prazer neste teu outono bem fotografado!

Beijos Elisa

aluap Al disse...

Um lindo texto de Mário de Andrade.
A vida é bela, não devemos estragá-la, até porque eles (os Outonos) passam rápido!

Bom domingo!

António Jesus Batalha disse...

Encontrei seu blog e é uma honra estar a ver e ler o que escreveu, quero felicitar-vos, pois é um bom blog, sei que irá sempre fazer o melhor, dando-nos boas noticias, e bons temas.
Quero aproveitar a oportunidade para partilhar o meu blog : Peregrino E Servo.
Vou ficar muito feliz se tiver a gentileza de fazer uma visita ao meu blog.
PS. Se seguir, fique a saber que irei seguir também seu blog, se o conseguir encontrar.
António Batalha.
Parabéns e muitas felicidades.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

MARILENE disse...

Gosto muito desse texto, que sinaliza um caminho real, quando o futuro não tem, certamente, a mesma dimensão do passado.
A foto está bela. Folhas e cores de outono... maturidade! Bjs.

Lete disse...

Lindo, lindo! A foto combina lindamente com o texto que não podia ser mais assertivo. A isso chamo de maturidade e é esse o caminho que tento percorrer.
Obrigada, pela belíssima reflexão!

Anete disse...

Gosto muito deste texto!
Devemos aproveitar bem o tempo com o que vale a pena...
Há tantas banalidades...

Abraços e tudo de bom...

O meu pensamento viaja disse...

Minha amiga, o tempo é, o nosso bem mais precioso e há que não o desperdiçar. Belo texto.
Tem uma semana feliz.
Beijinhos

Zulmira Romariz disse...

Amiga, texto lindo e cheio de significado, o essencial é tudo...
beijos e boa semana

Liliane de Paula disse...

Não conhecia esse texto de Mário de Andrade.
Muito bonito.
Morreu tão cedo. Mais cedo do que certamente, pode imaginar.
Vou transcrever para o Facebook.
Essa beleza, precisa ser divulgada, concorda?

cottidianus disse...

eu ainda sou um jovem :) e também não tenho tempo para todas essas coisas que só servem para perder tempo!!!
e já agora o banco do jardim não é só para os maduros... onde é que os jovens (mais jovens do que eu) costumam namorar??!!! :)

Ana Freire disse...

Um texto absolutamente extraordinário, no qual me revejo em cada palavra...
Uma das vantagens da maturidade... é apercebermo-nos do desperdício de tempo, gasto nas nossas vidas, com coisas, situações e pessoas, que não interessam rigorosamente para nada... e finalmente termos a capacidade de filtrar tudo isso... para mim, basta-me... e sempre me bastou o essencial... também já aprendi a dizer não, a tudo isso... e cada vez tenho menos problema em dizê-lo e demonstrá-lo, a quem não me mereça o mínimo de consideração...
Uma partilha extraordinária por aqui, Elisa! E uma foto magnífica!
Beijinhos, desejando uma boa semana... embora por aqui, de momento, não esteja grande coisa... uma trovoada enorme... :-(
Ana

A Pequena Boneca de Trapos disse...

Fabuloso! É incrível como essas palavras nos deixam a pensar no futuro!

Bjxxx

Bergilde disse...

Se esse banco pudesse falar e narrar histórias de vidas que nele sentaram...Linda foto e texto espetacular de profunda sabedoria!
Bom dia Elisa,abraços!

Denise disse...

Linda reflexão!
Acho que já estou vivendo este tempo!
Bjs e ótima semana!
http://dedeartes-denise.blogspot.com

Zilnete Antunes disse...

Belo texto, amiga Elisa!!!
Vc foi muito sábia em publicá-lo!!!
Engraçado... ele diz tudo o que eu estou vivendo no momento!!!
Obrigada por compartilhar!!!
Boa semana!!!
Bjos!!!

desabafosemrodape disse...

Boa semana. Elisa. Sempre com um olhar no melhor que a vida nos pode trazer, mesmo com mais passado, que futuro!
Um beijinho.

Helena Resende disse...

Um texto muito bonito... e essa imagem é o reflexo daquilo que mais gosto no Outono :)

http://checkinonline.blogspot.pt/

A Pequena Boneca de Trapos disse...

Adoro este texto e a lição que ele transmite!

Bjxxx

Remus disse...

Belas e bem verdadeiras palavras do Mário de Andrade, que ficaram enaltecidas a fotografia deste banco de jardim solitário e adornado pelo Outono.
Perfeita harmonia entre palavras e fotografia.

Morning Dreams disse...

Adorei a fotografia e o texto! Apesar do que muitos pensam, envelhecer é belo. Pelo menos, é assim que eu penso, ganha-se maturidade e experiência em vários assuntos da vida. No fundo, envelhecer é tornar-se sábio em todos os assuntos pois, com o acumular de vivências ao longo dos anos, são muitos os assuntos com que lidam e abordam. :)

MORNING DREAMS

Sofia Silva, Beijos*

Sónia Miranda disse...

Como entendo!

luisa disse...

É preciso saber fruir do tempo. Sem dúvida. :)

Graça Pimentel disse...

Bonita fotografia e excelente texto.

beijinho

Mona Lisa " Animada"

ShareThis