segunda-feira, julho 30, 2018

Um olhar





De todos os profundos oceanos do mundo.
Sou de todos os portos, do barulho das suas docas
De todos os enormes navios fundeados nos cais
E dos que estão encalhados nos bancos de areia (...)
Sou de todos os faróis que há nas noites das costas
Indicando, nos segundos cronometrados da sua luz,
A traição dos continentes, das ilhas e dos bancos de areia (...)
Sou de toda a extraordinária força da gente marítima
Que se entrega aos abismos do mar com a sinceridade
De quem se dá ao único destino possível da terra (...)
Sou de todos os voos de gaivotas e das suas travessias
Quase incompreensíveis aos homens da terra tão lentos
E tão distantes do entendimento das asas duma gaivota (...)
Por isso a minha pátria é o mar (...)


João Meneres de Campos, Mar vivo, In " A poesia da Presença"

10 comentários:

Rejane Tazza disse...

Que beleza de texto do Joao ectua foto! Adorei! Bjs tudo de bom, chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei bastante do que li minha amiga e a fotografia está espectacular "asas de liberdade".
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Os olhares da Gracinha! disse...

Gosto do poema e adoro o olhar!
bj

Larissa Santos disse...

Que imagem e texto maravilhoso. :))

Hoje: O meu sentimento não morreu.

Bjos
Votos de um óptima Segunda- Feira

Cidália Ferreira disse...

Mais uma postagem fantástica!

Beijos e uma excelente semana!

teresa dias disse...

Olá Elisa!
Gostei do que li e do que vi (foto fantástica!).
Abraço e boa semana.

Liliane de Paula disse...

Que imagem é essa? Não identifiquei.

Bella disse...

O lar das gaivotas é o mar...
Bjs

Maria Rodrigues disse...

Excelente escolha, lindo poema
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Manu disse...

Sou uma apaixonada por gaivotas, perco o meu olhar nos seus voos rasantes e imagino-me a voar com elas.

Esta que captaste parece que voou comigo e me transportou para um porto seguro.

Beijinhos Elisa

ShareThis