segunda-feira, dezembro 13, 2010

Momento de Poesia com Agostinho Fardilha



Poesia do Século XVII

A Poesia Lírica Cultista e Conceptista

O cancioneiro barroco: a” Fénix Renascida” e o” Postilhão de Apolo”

Chegamos ao fim da” viagem” com o poeta

Jerónimo Baía



Ao Menino Jesus

Adão e Eva pecaram,
desobedecendo a Deus;
os males, incluindo os meus,
ao Pai Eterno rogaram


que tivesse piedade
dos Seus filhos penitentes,
de maldades sempre utentes.
Ele ouviu a Humanidade.


Resolveu gerar um Filho
numa Virgem imaculada,
desde sempre consagrada
a Deus com todo o Seu brilho.


Neste mundo ficará
enquanto aqui vida houver.
A Hóstia, como esmoler,
no Sacrário estará.


Já na infância a todos deu
bênção e amor infinito.
Fez amizades n’Egipto,
onde alguns anos viveu.


Ajudava o pai terreno
na arte de carpinteiro;
e gravava no madeiro
a missão do Nazareno.


Morto Herodes, regressou
com os Pais a Nazaré.
Sua vida ignorad’é:
mas futuro preparou.


É tempo de catequese:
lá vai Ele p’la Judeia;
os atalhos calcorreia,
buscando quem O despreze.


Jesus, p’ra te conhecer
tenho de olhar para dentro
de mim. Se estiveres no centro,
Contigo passo a viver.


Inveja e ódio à morte
Te condenaram. Mas ela
tu derrubaste qual vela
desfeita p’lo vento Norte.


Meu Deus- Menino és do Padre
Trino obra divina e humana,
fizeste uma Caravana,
cujo guia é tua Madre.


Diáfano Lampadário,
és farol das nossas vidas.
Com doçura nos convidas
a seguir o Teu calvário.




Vocabulário:

brilho=esplendor
esmoler=dádiva
caravana=Igreja




Agostinho Alves Fardilha (o meu pai)
Coimbra

15 comentários:

Anónimo disse...

A característica de bem versejar é comum aos dois poetas- Jerónimo Baía e Agostinho Fardilha.

Abraço.

Graça Pereira disse...

Lindissimo poema, até para os miúdos dizerem na noite da Consoada.Gostei muito. Beijo
Graça

Mal-Me-Quer Bem-Me-Quer disse...

Olá Elisa
Como estás minha Amiga...
Adoro os poemas do senhor teu Pai, são realmente fantásticos.
Uma Beijoca ENORME
Ana Zuzarte

Nilson Barcelli disse...

Quanto mais leio o teu pai, mais convicto fico do grande poeta que foi.
Será que ainda vais a tempo de lhe fazer a homenagem que ele merece? A publicação em livro, por exemplo.
Beijos, querida amiga.

Mena disse...

Olá!
Mais um belo poema do pai Fardilha. Parabéns!
Bj
Mena

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Gostei muito deste poema ao Menino Jesus; nasceu como qualquer outra criança...cresceu como as demais. Morreu por ter ansiado mudar a humanidade. Muitos há que seguem a sua mensagem, a igreja que criou; outros porém, continuam a espalhar o ódio que O matou, um ódio que continua a matar, não poupando sequer as crianças indefesas como Ele um dia foi.
Está aí num comentário acima uma sugestão...por que não editar um livro com estas maravilhas do seu pai?. Um beijinho e obrigada por partilhares.
Emília

Carla disse...

Elisa,
Que belo, quanta devoção !!


Tem um presentinho pra vc no meu blog, quando puder passa lá!


Bjs

Blog da Anabela Jardim disse...

Cheguei na sua página através do blog da Emília/Hermínia. Em primeiro lugar quero deixar os meus sinceros votos de parabéns ao seu pai, pela bela poesia! E, em segundo lugar, parabéns a você pelo lindo blog e pelas belas fotos do mercado!

JPD disse...

Belo.
Um abraço para o autor.

Lilá(s) disse...

Mais um belo poema!
Bjs

artes_romao disse...

boa noite, td bem?
continua tudo um encanto,parabéns.
fica bem,jinhos***

Lis disse...

Lembro das noites de Natal quando íamos a igreja e lá ouvíamos os cânticos e as declamaçoes sobre o menino Jesus.
Sr.Agostinho sabe comover e faz belas escolhas.
abraços a ele com desejos que o Natal em família seja perfeito
beijinhos mlisa

mfc disse...

Uma história de sempre que permitiu muitos atropelos... mas isso é uma outra história!!
Todavia muito bem contada e sem num esquecer a métrica irrepreensível que já o caracteriza.

Anónimo disse...

Nesta época natalícia, nada mais belo que recordar a vida de Jesus.
O nosso querido amigo e poeta Agostinho Fardilha, com a sua sensibilidade e arte apresenta-nos um "lindo poema." !
Tenho a certeza que o Deus-Menino ficou muito contente com esta "história " .
Há tanta gente perdida e desobediente, perdendo-se com tanta coisa!Tal e qual como

«Adão e Eva pecaram,
desobedecendo a Deus;

Ó gente, acordai enquanto é tempo! Tomai consciência e arrependei-vos

«os males, incluindo os meus,
ao Pai Eterno rogaram»

É um bom momento de paragem!
É a melhor prenda que podemos oferecer-Lhe: o arrependimento.
Deus é tão bom!
Deus é tão humano!

«Ele ouviu a Humanidade»

A sua omnipotência é derrotada pela Sua misericórdia.
Sabem todos que assim é.

Para mim é eloquente a terceira quadra.Não foge à realidade. Mas ilumina-a com os versos que escreve

«Resolveu gerar um filho»

O Amor é sublime!

«numa Virgem imaculada,»

Interrogo-me com este verso.
Que temos nós de pureza?
Aceitemos este desafio.
Tentemos ser criaturas puras, neste mundo tão leviano!
E o poeta continua com uma beleza de expressão

«desde sempre consagrada
a Deus com todo o Seu brilho»

O Natal está a chegar.
Sabemos bem o que isto significa?
Meu bom Jesus o quanto nos amas!!!
Amas tanto que

«Neste mundo ficará
enquanto aqui vida houver.»

Estamos vivos, ou estamos apenas vivendo sem Vida?
Deus deixou-nos a Vida que tanto ansiamos

«A Hóstia, como esmoler,
no Sacrário estará.»

Tanto Amor que Ele nos tem!!!
Há tanta gente insaciável!
Ele mata a fome e a sede.

O poeta preocupa-se.Quer que fique bem esclarecida a vida de Jesus.
Foi uma criatura igualzinha a nós, excepto no pecado.
Então nas quadras seguintes apresenta, com fidelidade,essa vivência de Cristo, como criança e como homem.
Claro, que é visível a arte de escrever, conseguindo com a sua poesia embalar-nos com a verdade e dando-nos uma sensação de proximidade.
Admiro a forma com que salta da morte de Herodes para o que irá acontecer

«mas futuro preparou.»
.......................................
«buscando quem O despreze.»

Não perde tempo.É necessário sensibilizar o leitor.
Jesus é o Caminho.Para O seguirmos, basta olhar.
"Olhar para nós".Ou seja uma introspecção.O poeta dá o exemplo

«Jesus p'ra te conhecer
tenho de olhar para dentro de mim.

Que abertura de coração!
Que certeza!
Jesus é Fonte de Vida.

«...Se estiveres no centro,
Contigo passo a viver.»

Como todas as histórias que se contam às crianças, acaba tudo em bem.
Mas este final tem uma mensagem de Esperança.

«és farol das nossas vidas.»

Poeticamente, tivemos um momento belo sobre a vida de Jesus.

Bom testemunho de fé!
Se a poesia não "toca" o nosso coração, então foi apenas mais uma leitura a tantas outras.
Mas este poema atinge a meta!
Belo trabalho.
Quando se publicará o tão esperado livro de poesia da autoria de Agostinho Fardilha???!!!
Parabéns!
Que o Menino Jesus o cubra de bençãos.
Parabéns, Elisa.

Pérola disse...

Um poema com muitahistória.
Muito bem escrito, próprio de um poeta competente.
Beijinho ao pai e filha, talentosos.

Mona Lisa " Animada"

ShareThis