quinta-feira, dezembro 16, 2010

Um conto de Natal (resumo)



Numa grande floresta de pinheiros, tílias,abetos e carvalhos, a norte da Dinamarca, morava um cavaleiro com a família.
Todos os anos festejava alegremente o Natal com a mulher, parentes e criados. Mas, certo Natal, terminada a ceia, declarou que no próximo ano não estaria ali com eles, pois resolvera ir em peregrinação à Terra Santa.
E lá partiu para a demorada e perigosa viagem, como eram as daquele tempo.
Um ano depois estava na Palestina e, no dia de Natal, dirigiu-se para a gruta de Belém.Rezou muito nessa noite e pediu aos Anjos que o protegessem e guiassem na viagem do regresso, para que, daí a um ano, pudesse celebrar o Natal com os seus.
Regressou em fins de Fevereiro na companhia doutros peregrinos, entre os quais um rico mercador de Veneza que o acolheu no seu palácio. mas ele queria partir e, um mês depois, caminhava em direcção a Génova para embarcar num dos navios que navegavam para a Flandres.
Primeiro a doença que o acometeu, depois a falta de barcos obrigaram-no a fazer a viagem por terra, a cavalo.
Só parava para comer e dormir, ansioso de chegar antes do Natal à sua terra. Mas, quando chegou à flandres, já era Inverno e os navios não podiam cruzar os rios e mares gelados. resolveu fazer a viagem por terra e caminhou durante longas semanas. Na antevéspera do Natal, chegou a uma pequena povoação a poucos quilómetros da sua floresta.
Era o dia 24 de Dezembro e ele caminhava apressado através da grande e espessa floresta, indiferente a todos os perigos. A neve caía. Os lobos espreitavam.
Meio perdido, a tremer de frio, não desistiu. Lembrando-se da grande noite azul de Jerusalém rezou a oração dos Anjos e então na massa escura dos arvoredos começou a crescer uma pequena claridade. A luz continuava a crescer e, à medida que crescia, subindo do chão para o céu, ia tomando a forma dum cone. Quando chegou em frente da claridade viu que se tratava do grande abeto escuro coberto de luzes.
Os anjos tinham-no enfeitado com dezenas de pequenas estrelas para guiar o Cavaleiro.
E é por isso que na noite de Natal se iluminam os pinheiros.

10 comentários:

Anónimo disse...

Recordei-o com gosto.

Abraço

Lis disse...

Oi mlisa
Não conhecia o conto e achei lindo.
Os pinheiros enfeitados iluminando a noite de Natal são de fato belíssimos.
saudades também amiga.
acabei numa viagenzinha sem programar pra aproveitar umas milhas da filha e fomos conhecer uma bela cidade no nordeste do país.
É verão aqui mlisa , época de passear pelas praias pra pegar o arzinho mais refrescante.
bom inverno pra voce querida e que seja também gostoso e aconchegante.
bons chocolatinhos quentes rs
abraços

Jacque disse...

Eu estou oferecendo meu cartãozinho de Natal, no meu Blog AGUA DE ROSAS, apareça...
http://aguaderosas-jacque.blogspot.com/

Lilá(s) disse...

É lindo! hoje em dia é trabalhado nas aulas de português do 2ºciclo como leitura orientada.
Bjs

JPD disse...

O mérito de escrever para crianças era inesgotável na Sophia.

Belíssima escolha.

Bjs, Mona Lisa

Alex disse...

Essa senhora nasceu com um dom que felizmente foi partilhado com milhares de leitores. Obrigada pela partilha. Beijinhos

Paula Raposo disse...

Obrigada pela partilha deste conto fascinante! Beijinhos.

Graça Pereira disse...

Não conhecia a história do pinheirinho iluminado. Lindissima!
A fé produz milagres!
Beijo
Graça

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Lindo o conto, Mona Lisa, e obrigada, pois não conhecia o motivo da iluminação das árvores.É muito bom partilhar conhecimentos. Espero que estejas a viver esta quadra com muita alegria e que tenhas um excelente Natal. Penso que ainda voltarei cá antes. Um beijinho e um bom fim de semana
Emílçia

Agulheta disse...

Amiga Elisa.Gostei do conto de Natal e a origem da árvore de natal,aqui faço a mesma e um presépio,não como fazia noutros tempos,este é mais "moderno"mas o sentido dele é bem profundo e representa muito para mim.Gosto da voz de Olivia Newton John.
Beijinho e Feliz Natal

Mona Lisa " Animada"

ShareThis